A FAZENDA: OS ENCONTROS AO ENTARDECER

OS ENCONTROS AO ENTARDECER




OS ENCONTROS AO ENTARDECER
Agora que estamos preparando o terreno para o plantio da próxima safra, quase todos os dias eu vou até a beira da estrada ver a professora e falar com ela. Ela não falou mais sobre o que conversamos da última vez, que não entedia o que eu falava. Não ficamos conversando muito tempo, para evitar que algum outro empregado da fazenda me veja ali falando com ela. Como tem algumas árvores grandes  margeando a cerca da fazenda em alguns pontos, sempre encontro com a professora de ciência ficando atrás do tronco de uma dessas árvores, porque sem a plantação de trigo e o terreno todo plano, seria fácil me ver ali.
Em nossas conversas eu já fiquei sabendo o nome dela, a idade e sabendo que ela mora sozinha na cidade. Já sei que ela veio de um estado bem longe dali, que gosta ver jogo de vôlei, assistir novelas, comer pipoca, sorvete e batata frita. Que sente saudades da família, que queria que eles fossem morar ali com ela, mas os pais dela não queriam deixar sua terra natal, nem seus amigos e parentes. Que ela gosta muito de ser professora e ainda quer casar um dia, mas só com alguém por quem ela se apaixonasse. Ela disse que já teve namorados, mas não deu certo e que está sozinha. 
Sempre enquanto ela fica falando eu só fico observando seu rosto, que eh muito bonito, sem dizer nada para não atrapalhar o que ela diz. Sempre depois que ela para de falar ela sempre pergunta: 
__E você? Fale um pouco de você.
__Eu? Eu trabalho aqui na fazenda.
__E mora onde?
__Aqui na fazenda. Não aqui na fazenda, mas lá na fazenda.
__Acho que você já tinha me dito isso. Você tem namorada?
__Eu? Tenho nada. Nem tem ninguém para namorar aqui. Lá na fazenda até tem umas meninas, mas aqui na fazenda não tem não.
__E seus irmãos?
__O que têm eles?
__Você nunca fala deles. Nem de seus pais. Nem de amigos.
__Meus irmãos trabalham aqui na fazenda também. Meus pais também, menos minha mãe. Meus amigos não eh ninguém não, porque eu só conheço as pessoas que trabalham aqui, mas nem conheço todos que trabalha aqui, só alguns. Os caminhoneiros também eu conheço, só alguns.
__Entendi.
__Preciso ir embora porque senão eles vão sentir minha falta no trabalho. Eu volto amanha tá bom!
__Está bem. Até amanhã. Thyal
__Thyal
Saí dali rapidamente e pouco depois encontrei com o meu chefe do serviço que me perguntou o que eu fazia atrás daquela árvore. Eu disse a ele que não estava fazendo nada, mas ele ficou insistindo e então eu disse que estava descansando. Ele então me perguntou:
__O que você está me escondendo?
__Nada. Só estava ali parado. Porque, não pode?
__Ta bom. Vamos indo.
E fomos indo embora com eu na frente e ele atrás dizendo: __Te cuida moleque. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário