A FAZENDA: AS PEDRAS DE GELO

AS PEDRAS DE GELO





Em nossa casa não tem geladeira. Nunca tivemos uma. Minha ideia de geladeira eh que ela serve pra fazer gelo. Minha tia e nossa vizinha têm geladeira. Minha mãe às vezes pede meu irmão para levar alguma coisa na casa de nossa tia para ela guardar na geladeira pra ela.




Eu nunca vi o que era e nem por qual motivo ela mandava colocar na geladeira. Devia ser para virar gelo. Minha mãe compra leite todos os dias e ferve ele no nosso fogão a lenha. Às vezes o leite sobe e derrama. Minha mãe fica xingando porque ninguém viu o leite derramar. Ela disse que faz isso para o leite não azedar.
Ela fala que se tivesse geladeira não precisava ferver o leite. Aqui em casa, geralmente no domingo, minha mãe faz um suco para que a gente possa beber durante o almoço. Eu não gosto de suco e então não bebo nada na hora do almoço. Minha mãe sempre pede para um irmão meu ir na nossa tia e vizinha pedir gelo para colocar nesse suco. Neste domingo minha tia disse que não tinha gelo, tinha se esquecido de colocar água para virar gelo.

Então minha mãe pediu para meu irmão ir na casa de outra tia nossa que morava na Rua "M". Ela era irmã da minha mãe também. Meu irmão ficou reclamando dizendo que tudo era ele e falou pra minha mãe: Manda o Bolinha. Minha mãe então mandou eu ir buscar gelo na casa da minha outra tia, que também tem geladeira. Minha mãe recomendou que eu voltasse correndo porque se eu demorasse como de costume o gelo iria derreter. E não era para eu ir rodando pneu. Peguei a vasilha que a gente busca gelo e fui na outra rua buscar os gelos.
Quando cheguei na rua da minha tia, tinha um monte de meninos jogando pelada na rua. Fiquei olhando um pouco eles jogando bola ali e depois fui pegar o gelo. Minha tia encheu a vasilha de gelo e mandou que eu fosse rápido pra casa. Saí da casa dela e quando passei pelos meninos jogando bola, parei novamente para ver um pouco.


Nisto um menino me viu ali com a vasilha cheia de gelo e gritou: Gelo!
Os meninos que estavam jogando bola correram todos em minha direção e começaram a tirar as pedras de gelo de dentro da minha vasilha para chuparem os gelos. Não sobrou nenhuma pedra de gelo. Fui embora pra casa com a vasilha sem nada.
Chegando em casa minha mãe perguntou pelo gelo e eu disse que os meninos tinham pego todo o gelo para chuparem. Minha mãe não acreditou e começou a me xingar dizendo que eu tinha deixado tudo cair.


Ficou dizendo que eu era uma peste, não sabia fazer nada direito e me mandou ficar de castigo debaixo da mesa. Minha mãe falou com meu pai que eu tinha deixado o gelo cair. Fiquei com medo porque meu pai eh muito bravo. Mas meu pai só falou: Não sei o que eu faço com esse menino. Só amarrando ele num canto

Fonte dos textos e fotos: Thymonthy Becker (Pwalwer Kkall)




CONHEÇA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL


CORTEZ, A MÁQUINA DO TEMPO

Nenhum comentário:

Postar um comentário